Centro de Convenções de Cabo Frio

CENTRO DE CONVENÇÕES EM CABO FRIO-02
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest

Há alguns anos, Raul di Pace participou de um concurso público para projetar um Centro de Convenções em Cabo Frio, no Rio de Janeiro. 

Sendo Cabo Frio uma cidade extremamente quente, ele idealizou um amplo espaço sombreado, formado por pérgolas de 8 X 8 m, de diversas alturas, integrado às árvores frondosas do local, com o intuito de fornecer conforto térmico.

Seu projeto buscou inspiração na belíssima Mata Atlântica, que tem como uma de suas características a existência de árvores de várias dimensões, e na área do entorno, onde se situam um parque e um lago.

Esta proposta visava oferecer um área de convivência, onde a população local e os turistas pudessem usufruir de áreas verdes, percorrer um deck à beira do lago ou ainda caminhar pelo jardim sombreado localizado no teto do Centro de Convenções.

O grande desafio deste projeto foi o de criar um prédio que possibilitasse a realização de eventos simultâneos com diferentes configurações, que facilitasse sua montagem e desmontagem, que utilizasse tecnologia de ponta, que visasse conforto térmico e acústico e que promovesse a circulação, com ênfase na paisagem e na sensação de liberdade. 

A acessibilidade também foi contemplada na proposta, garantindo o acesso a pessoas com necessidades especiais, bem como rotas de fuga para todos os frequentadores. 

O traçado do complexo integrou totalmente a circulação interna e externa, adotando um conjunto visual rico em detalhes, com linhas simples e de fácil compreensão pelos usuários, e o uso predominante de madeira, vidro e concreto. 

Há que se destacar também a grande preocupação com a utilização de tecnologias sustentáveis, tais como a reutilização da água de chuva, o aproveitamento de energia solar, a iluminação natural, o uso de ventilação natural e a aplicação de materiais de fácil manutenção. 

O projeto ainda previu a possibilidade de readequação dos espaços sempre que necessário, tornando o prédio útil por um longo período, sem correr o risco de se tornar obsoleto ante novas exigências e usos.

 

A proposta de Raul di Pace para o Centro de Convenções de Cabo Frio foi pensada de forma a se tornar uma referência para a cidade, um cartão postal e um chamariz para o turismo de negócios.